terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Janela


Havia uma casa, havia uma janela, uma janela de vidro que protegia uma pessoa das coisas do mundo lá fora, coisas que à atormentavam...
O tempo passava e tanto a pessoa quanto a pobre janela sabiam que algumas coisas não eram possíveis de se impedir...
Planos, angústias, ambições, repressões...
Existem coisas que passam pelas janelas...
São coisas da alma, do coração...
As vezes são boas, boas para quem sente, boas para todos...
Algumas não. Simplesmente não são boas para ninguém.
Mas a pobre janela continuava lá... fechada, acreditando estar protegendo quem estava inseguro dentro da grande casa.
Um dia, a tal janela foi aberta, e mesmo sem entender, permitiu que assim fosse...
A pessoa então saiu, encarou seus problemas, venceu alguns, perdeu para outros (normal)...
Tornou então suas ambições objetivos que serviram de impulso... Fez o que queria fazer...
Pisou em seus problemas.


Aí a pessoa abriu os olhos e percebeu que era apenas um sonho...
E a janela continuou fechada.

Everton Loffi - Lisergia em forma de texto

Nenhum comentário: