quarta-feira, 23 de novembro de 2011

NeverLand, 23 de Novembro de 2011

http://weheartit.com/entry/18013687


Querido Diário,
Espero que o meu novo eu, encontre esta carta, que provavelmente será esquecida, em meios aos planos e papéis da vida, espero que, as amizades tenham prevalecido, mesmo que não sejam as mesmas.
Considero que o pior não seja ver as pessoas ir embora, nem ao menos dizer adeus a elas, mas apagar todas as memórias delas, esquecer de tudo que foi criado, feito, vivido, tenho medo de um dia acabar em uma cama qualquer, esquecida, sem nem ao menos poder pegar uma foto, levantar os dedos, sorrir, correr, tenho medo, de esquecer das pessoas que fizeram parte da minha vida.
É estranho, mas eu espero que quando esta carta estiver totalmente velha, amassada e feia, eu possa encontrá-la e ler cada pedaço dela, e lembrar dos pequenos seres que conseguiram arrancar um sorriso meu a cada instante, sendo na alegria ou na tristeza, é claro, sei que irei chorar ao ver isto, porque, infelizmente todos vão embora...
Espero que tenha guardado todas as lembranças, e ainda que deixe a tristeza de lado para poder correr atrás do que não foi vivido, espero que os planos tenham sido realizados, até porque, planos devem ser cumpridos e não serem simples promessas quebradas pelo rumo do tempo, desejo imensamente nesse momento, que o meu novo eu, tenha aprendido a valorizar as pequenas coisas, e que, não tenha dito palavras em vão, pois da mesma forma que sofri no passado, não quero que os que estiverem ao meu redor, sintam a infelicidade de perder e esquecer. 
São meras palavras, meros pensamentos, mas eu gosto de escrever, mesmo que seja para mim mesma. Por favor, não tenha mais medo do tempo.

Pequena Garota.


70ª Edição Cartas

Tema:  Do que você tem medo?

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Quando o ego fala por si

Não deixa que tomemos conta de nós mesmos, é estranho não?, mas um professor meu disse a seguinte frase na aula "Somos egoístas porque quando uma pessoa está morrendo a gente não quer que ela morra, quer que ela fique conosco, mesmo ela sofrendo, ao invés da gente querer que ela morra logo para acabar com a dor" e realmente, quando ele disse isso eu lembrei de uma amiga minha que se queixa de um problema, de mim que vivia reclamando da minha situação, de seres que eu perdi, e de fato, somos egoístas.
Seja na forma de ciumes, de querer uma pessoa só, mas, o que mais podemos fazer? aprendemos a viver assim, pelo menos no Brasil é assim, somos muito afetuosos, já em outras culturas não, como no Japão. Acho que quando perdemos algo, não é para remoer aquilo dentro de você como se houvesse algo que pudesse ser feito, é apenas deixar isso se tornar livre, e sair por ai, como deve ser as coisas.

domingo, 20 de novembro de 2011

Desprenda-se

http://weheartit.com/entry/18057266



Você apenas acha que conhece o mundo, que pode comandar a todos, que tem amigos para sempre, mas você não deixa de ser, o garotinho(a) da camiseta dada pela mãe, da bermuda de marca, dos tênis novos, do caderno limpo, sem rabiscos, dos amigos que aparecem para beber, do carro novo.
Mas, nada disso te faz realmente feliz, fingir não te torna mais uma pessoa, fingir não pode te alegrar, talvez, o que falte é se desprender um pouco do que não é real, se desprender dos bens materiais, começar a correr atrás das coisas, deixar de lados aqueles que apenas te mantêm na mesma rotina, na mesma dieta idiota, tentam te fazer continuar nesse mundo falso.
Chega, se liberta, se joga, faz tudo diferente, não faça uma faculdade, ganhe na mega sena, participe de um torneio de boxe, lute até cair no chão e sangrar, converse com um estranho na rua, carregue um gás de pimenta, corra, viaje sem passaporte, não venda drogas, ou venda-as, tente livrar-se do que te aprisiona num falso mundo.