sexta-feira, 1 de julho de 2011

Um pequeno segredo.

Itapira, 01 de Julho de 2011.

Querida vida,
Não sei nem por quais meios começar, nem ao menos como te dizer isso, mas agradeço por ter me privilegiado com alguns feitos maravilhosos. Pude observar ao longo de todo esse tempo meus queridos amigos, familiares, e os meus melhores inimigos, crescendo e se tornando algo que eu nunca imaginei que fosse acontecer.
É claro, que não agradeço por ter me feito lutar tanto, hoje estou aqui, sentada nessa velha cama de hospital, vivendo a base de soros fisiológicos, sem nem ao menos poder desfrutar dos mais variados doces que sempre amei. Mas, agradeço muito por encher meu caminho de desafios e decepções, pois foi assim que eu pude perceber quem estava do meu lado, e quem eu deveria estender minha mão mesmo depois de errar.
O pior de tudo, não é tentar me revelar a você, o pior é não pode agradecer aos que sempre estiveram comigo, que me alimentaram, fizeram do impossível para me garantir um bom futuro, e que eu acabei por agradecer assim, sentada numa cama qualquer, observando o céu, respirando este maldito cheiro, e ainda, nunca ter voltado atrás para dizer que me arrependi de ter fugido de casa, por um simples homem, que agora, nem sequer olha para mim.
Percebo, que serão minhas últimas palavras, o sangue começou a escorrer novamente pelas minhas pernas, sinto a dor aumentado a cada segundo, não irei aguentar mais. Mas por cada instante desses, eu faria tudo de novo.

Obrigada.

Nenhum comentário: