terça-feira, 31 de agosto de 2010

Espero.

Espero aprender com os meus erros, pois há muito tempo deixei de acertar, me enganei com o fato, de acreditar que poderia mudar, deixei de ser criança, mas, nem por isso quis virar adulta, eu me apaixonei demais, fugi de casa muito cedo, me envolvi, tentei fazer de tudo, para conquistar um coração que parecia não ter dono, mas, quais as concequências que isso poderia me trazer? no momento eu achava que nenhuma, mas, logo, que percebi, já corria na chuva, atraz do trem, gritando para que você me esperace,e você, simplesmente segurou minha mão, e naquela noite, naquele vagão, me bateu, me deixou marcada, me deu a oportunidade de ter um filho.
Fiquei sozinha, por muito tempo, sentada numa escada qualquer, chorando, e pedindo por ajuda, até que levantei, e decidi criar um filho, meus pais não queriam mais saber de mim, era hora de crescer, até que tudo, virou luz para mim.
Agora, eu olhava atenta para o chão, lágrimas corriam do rosto, mas isso não significava que havia desistido, eu apenas levantei, e fui em busca de emprego, procurei na minha mala suja, a melhor das minhas roupas, a coloquei, mesmo estando totalmente amassada, era o que contava. Não me importava o que achavam, eu ia juntar dinheiro, daria uma vida pra esta criança.
Meses, passaram, eu tive um filho, um bom salário, comprei um casa, mas, nem tudo estava bem, ele voltou, e tirou de mim, o que me restava, tirou de mim minha criança que nem ao menos conhecia o mundo, como ele pode, entrar na minha casa e levar meu filho...
Eu não iria deixar barato, semanas, investigando e procurando, eu o encontrei, nada disse, mas logo o matei, agora, eu podia, ter uma vida......em paz. 

Nenhum comentário: