terça-feira, 31 de agosto de 2010

Espero.

Espero aprender com os meus erros, pois há muito tempo deixei de acertar, me enganei com o fato, de acreditar que poderia mudar, deixei de ser criança, mas, nem por isso quis virar adulta, eu me apaixonei demais, fugi de casa muito cedo, me envolvi, tentei fazer de tudo, para conquistar um coração que parecia não ter dono, mas, quais as concequências que isso poderia me trazer? no momento eu achava que nenhuma, mas, logo, que percebi, já corria na chuva, atraz do trem, gritando para que você me esperace,e você, simplesmente segurou minha mão, e naquela noite, naquele vagão, me bateu, me deixou marcada, me deu a oportunidade de ter um filho.
Fiquei sozinha, por muito tempo, sentada numa escada qualquer, chorando, e pedindo por ajuda, até que levantei, e decidi criar um filho, meus pais não queriam mais saber de mim, era hora de crescer, até que tudo, virou luz para mim.
Agora, eu olhava atenta para o chão, lágrimas corriam do rosto, mas isso não significava que havia desistido, eu apenas levantei, e fui em busca de emprego, procurei na minha mala suja, a melhor das minhas roupas, a coloquei, mesmo estando totalmente amassada, era o que contava. Não me importava o que achavam, eu ia juntar dinheiro, daria uma vida pra esta criança.
Meses, passaram, eu tive um filho, um bom salário, comprei um casa, mas, nem tudo estava bem, ele voltou, e tirou de mim, o que me restava, tirou de mim minha criança que nem ao menos conhecia o mundo, como ele pode, entrar na minha casa e levar meu filho...
Eu não iria deixar barato, semanas, investigando e procurando, eu o encontrei, nada disse, mas logo o matei, agora, eu podia, ter uma vida......em paz. 

domingo, 29 de agosto de 2010

Pessoas legais moram longe.

É, infelizmente, a famosa frase, "pessoas legais moram longe", é verdade. Sabe, existem inumeras pessoas que conheçemos, que temos prazer de ter do nosso lado, mas, algumas, que surgem, do nada, nem que seja por um discursão idiota, no orkut, ou até mesmo num chat qualquer, acaba, se tornando especial.
Algumas, pessoas, sabem realmente, como mexer conosco, nem que seja, quando a "janelinha do msn" sobe, o coração já palpita, a angustia sobe, a vontade de conversar cresce, mesmo que não tenha muito assunto, uma pessoa qualquer, que você conheçeu por acaso, mesmo que more longe, se torna especial. 
Digo isso por experiencia própria, anos atráz, conheçi um rapaz um pouco mais velho, numa comunidade qualquer do orkut, e logo, começamos a conversar, nem que fosse um pouco, mas, sinceramente, eu amei ele desde aquele instante, não um amor de "eu o quero", nem de "um dia eu vou pegá-lo" mas, um amor do tipo "eu sei que posso contar com você". Realmente, há momentos que ninguém que eu conheço pode me ajudar, e ele sempre aparece quando eu mais preciso dele, mesmo que eu chore em frente ao computador, é como se ele estivesse aqui, me dizendo, para não me preocupar. Mas, é claro, nem sempre é para dizer sobre a minha vida, a conversa flui de uma forma encantadora.
Mas, nem sempre uma pessoa desconheçida é a pessoa "legal" que morra longe, ás vezes, são professores, ou até mesmo colegas, que de um certo modo, tiveram que mudar de cidade, ou país, por uma causa justa. As lágrimas percorrem sim, ao ter um contato, mesmo que não seja "cara a cara", com alguém, que mesmo não estando perto de você, te faz muito feliz.
É, há pessoas que mesmo de longe, encontram o par perfeito, já li inúmeras revistas de mulheres, e rapazes, contando que conheçeram alguém na internet, e dalí surgio um romance. Mas, eu não acho, que todos que conheçemos, devem ser uma "isca" para as nossa vontades. Mesmo, que seja impossivel conter, essa enorme vontade. Ahh, por que "Pessoas legais moram longe".


P.S - Realmente, este é o tema da 23° Edição Opinativa do projeto Bloínquês, mas admito, que de um certo modo, me emocionei, nunca relatei de tal forma, o meu amigo de distância. Jonas ♥

sábado, 28 de agosto de 2010

Parecia tão meigo e gentil, mas no fundo era repleto de ódio e insatisfação. Mas eu não me importava, tinha tantos que precisavam de mim, mais um perdido ou ganho, não faria diferença, eu prefiro, aqueles que sempre estiveram aqui, junto comigo. Eu amo vocês.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

As vezes eu pensava que poderia acabar com tudo, mas a única coisa que eu destruia, era o seu coração.

domingo, 22 de agosto de 2010

Superstição

Passar por debaixo da escada, ver um gato preto na véspera de halloween, dizer que quem usava preto praticava bruxaria, beijar os dados antes de jogar dá sorte. Quem nunca acreditou, ou até mesmo desconfiou dos "poderes misticos" das superstições?. Sexta-feira 13, às 03:00 hrs, se você acorda-se um "demônio" iria te "visitar", e a hora não iria passar. Superstição?.
É, há muito tempo, a superstição está "implantada" na nossa vida, quem por um impulso, usou uma roupa branca na véspera de Réveillon, pulou "ondas" no mar, para dizer que traria sorte?. É, nunca fui fiel há esses hábitos e pensamentos, já usei preto no Réveillon, já passei em baixo da escada, já quebrei o espelho de casa, já coloquei o dente embaixo do travesseiro esperando a fada madrinha mas, e a sorte e azar? sumiram? ou não gostam de mim?. 
Certamente, há sorte só virá para você, se você fizer coisas que há traram, não, realizando "tributos", para "implorar" de um certo modo que ela apareça. Se cada coisa fosse realizada desse modo, cada oração minha, cada pedido meu de natal, cada vontade de acabar com alguém, e até mesmo esqueçer, teria se realizado, eu teria ganhado na "mega sena", ou até mesmo ganho um carro, quando eu tive a oportunidade. Mas, não, nem tudo conspira á nosso favor, nem tudo tem que ser do nosso jeito. Uns, tem sim, mais sorte, que outros.
Claro, já usei aquelas fitinhas coloridas no braço (fitinhas do Bonfim), e fiz um pedido, mas, não posso garantir que tenha dado sorte ou azar, nem que tenha se realizado, mas, até hoje, ambas tirinhas estão no meu tornolezo. Apesar, da minha mãe, ter usado essas famosas tirinhas, e uma delas ter arrebentado, e, dizer, que seu pedido realizou-se. É, talvez as coisas sejam realizadas diferentes, para cada pessoa. 
Com base no Pe. Luiz Carlos F. "desde a Antiguidade, os povos eram cheios de crenças ligadas a aspectos mágicos, identificando situações que dariam ou não sorte àqueles que seguissem determinadas práticas. Muitas superstições nascem de hábitos do passado que fazem sentido, mas cuja razão se perdeu ao longo do tempo, multiplicando uma situação inexistente, que, muitas vezes, vem de modo fácil e tranquilo. Usar a roupa da sorte, a bebida especial, a planta de tal tipo."
Talvez, o medo seja maior que a razão, e o pensamento, mais forte que o corpo.

A vida inteira.

É, a vida inteira eu esperava, olhava pela janela, sonhava, com um rapaz que vinhesse com uma capa vermelha, me levar embora, e dizer que iriamos viver "felizes para sempre". Mas, nem tudo que eu queria, tudo que eu esperava era assim, as pessoas me abraçavam, os rapazes me iludiam, minhas amigas me consolavam, e eu chorava. Até que, por motivos, eu sabia que não podia desistir, até que eu encontrei você. E eu sei, eu estive assim com tantos outros antes de você, mas eu sinto como se fosse a primeira vez, e eu sei, que valeu a pena, dessa vez, eu não achava que fosse um principe, nem um sapo, mas, alguém que se encaixava em tudo, até mesmo no meu sofrimento, eu precisava de você. E eu acreditei nesse sentimento, e hoje, eu ainda não o larguei, por que eu sei, que você era único, e jamais iria embora. Mesmo, que barreiras aparecessem eu sonhava, e esperava por tudo que vinhesse, por que, eu sabia que valia a pena.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Nas mãos de uma criança.

Foto: Nelson Afonso

Mais um tapa, mais um soco, não importa se ela chorar, ela merece, é so uma criança. E você se questionava por apanhar? chorava? sabia que era errado?. Crianças, com seus 2,3,4 anos de idade, nem sequer tem consciência do mundo, e todos, vem com "paus e pedras" sobre suas cabeças.
Um garoto sem mais nem menos se aproxima, a mãe grita "não, não, não", mas o que significa esse "não"? Uma criança não consegue distinguir o certo do errado, o estranho do normal, mas tudo para ela é sim, novo. Um pai ou uma mãe não pode bater no filho, só por que disse "não", e simplesmente, o garoto continuou andando, e acabou pisando/tocando em algo que acabou machucando o pai/mão dele. 
Mas, e o diálogo? tantos pais, já disseram que tiveram filhos que não apanharam e se tornaram "bonzinhos". O que está acontecendo? virar lei, proibir de bater nos filhos, seria certo? Quem nunca perdeu a paciência e bateu no filho?Ou até mesmo aquelas crianças que insistem em continuar a atrapalhar alguém, mesmo depois da pessoa ter dito "pare", e ter "ameaçado"?. Alguns, exageram demais, alguns de menos, o que seria certo?. 
Certo, temos uma educação em casa, mas, a partir do momento, que nos misturamos a um outro vinculo social, podemos nos tornar outra coisa. Quem nunca viu um jovem de 16 anos falando "girias"? Agora imagine uma criança, que aos 2 anos de idade é posta em uma creche, por que os pais não tem tempo para ela, e ainda, exigem da escola, ou de qualquer outro local "educação".
Cabe, sim aos pais, saber dar uma educação "decente" ao filho, pois, mesmo que aos 2 anos de idade, a criança não tenha noção do mundo, ela vai saber quando, obedecer os pais, desde que eles, saibam impor o que se deve ser respeitado. A questão é como, cada um fará isso.


p.s: roubei o título do autor da foto, achei muito legal, e adorei a foto.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Por um simples impulso eu me perdi, mesmo que seja, para chorar um pouco, eu queria, que muitas coisas voltassem, eu queria, você do meu lado denovo. Talvez, eu exagere, mas, que mal tem, um simples coração ou uma razão gritar para ter algo devolta?. Talvez, eu só queira relaxar, e nada mais aproveitar.



(certo, meus posts estão pequenos, por que eu ando sem criatividade, motivação e tempo)

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Por que, quase ninguém entende, o que se passa. Eu queria saber mais. Eu queria ser mais que isso. Eu quero, que você acredite em mim.

sábado, 14 de agosto de 2010

Não me importo



De certo modo, o movimento me atraia, não me importava muito, em ter discutido com a minha familia, eu precisava correr um pouco, mesmo que todas as lágrimas agora caíssem por que, eu disse a todos que iria embora, para morrer. Eu corria envolta do parque, sim, próximo dali havia uma ponte, eu precisava subir nela. 
Perdia o fôlego, mas eu precisava, estava subindo a ponte, precisava correr mais rápido, cheguei ao topo. Sim, eu vou atravessar as grandes. Há, como essa sensação é agradável, mesmo que eu tenha perdido um pouco de ar, e mesmo que eu esteja fedendo de suor, eu estou melhor.
Droga, as lágrimas não param de escorrer do meu rosto, eu preciso relaxar. Ninguém, entende que eu preciso ser feliz, que eu preciso viver um pouco, mesmo que seja em outra cidade, eu quero seguir esse rumo, não me importo muito, que minha familia diga que eu não vá ter futuro, eu sei que vou ter, mesmo que seja pequeno.
O movimento da água está tão sutil, só isso para me deixar calmo. Maldição, utimamente as pessoas só pensam em lucrar, e ter uma base sólida e perfeita em casa, olhe, aquela cidade, nem ao menos consigo ver as estrelas, maldição, eu quero viver um pouco. Tenho que respirar um pouco, certo, eu perdi minha irmã mais velha, quando tinha 12 anos de idade, mas, a culpa não é minha se ela seguia rigorosamente, todas as regras em casa, o problema, é que, sempre que discuto com todos em casa, me lembro tanto dela, ela era tão perfeita, fazia tudo certo, e ainda me dava conselhos. Eu preciso dela.
O rapaz, olhou por alguns instantes o movimento do mar, se soltou das grades, limpou o rosto, tirou a carteira do bolso, e de lá tirou uma foto, colocou-a no bolso, jogou a carteira no chão e pulou na água, sim, o rapaz não sabia nadar.
 

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Espero, segurar a suas mãos, olhar nos seus olhos, e mais um vez, dar risada, por que, você de certo modo me fascina.  *-*

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Por que você é o melhor.


Um dia eu nasci, cresci, e algo me tornei
Caia no chão, sem mais nem menos,
Chorava, a espera de alguém,
Pai, você sempre esteve alí.

Chorava, ria, tentava crescer
Me divertia no teu colo,
Brincava de ser adulta,
Mas, não era isso que eu queria.

Agora, eu tento te convencer, que você é o melhor
Mas, minha infância passou, e agora, o que me resta
É tentar, fazer por merecer.
Tenha orgulho de mim, da mesma forma que tenho de você.

Eu quero sorrir mais uma vez,
Quero aprender novamente, a andar de bicicleta
Quero te convencer,
Que você é, o melhor pai, do mundo.


segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Por que eu tentei ser algo que eu não era, me tornei fruto do meu próprio vício. Agora, eu bebo um gole de vinho, e derramo em lágrimas, imaginando, quando o dia de amanhã chegará, e eu e você, nos tornemos um novamente. Eu bebo, para me sentir feliz, mas por dentro, eu sofro, com uma súbita vontade, de te ver, e ver que você me quer longe de você. Acabe com meu vício, eu não aguento mais sofrer.
Chore, agora, e morra, amanhã.

sábado, 7 de agosto de 2010

Hey, estou participando de um promoção do Skoob (site onde você coloca os livros que leu, ou pretente ler, podendo fazer amigos, e trocar livros) e, está tendo um promoção " 1 Ipad ou 100 livros", para ganhar é preciso ter muitos cupons, e, só é possivel ter esses cupons, se eu convidar pessoas, através, desse link http://www.skoob.com.br/promocao/codigo/168076. Ajudem?.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Devemos

(Foto: vitor tripologos)

Queremos ensinar a diferença do certo e do errado, queremos discutir, arrumar confusão por uma ideia contrária, queremos tudo. Mas, nem ao menos, percebemos que erramos, dizemos que estamos certos, mas nos bajulamos de pecado, fazemos por vontade, por querermos seguir o que nossos amigos/colegas fazem. Deixamos-nos levar.
Achamos, que podemos, dizer o que pensamos, e quando somos surpreendidos por um opinião mais concisa e superior, partimos para o lado da ofensa, não, não conseguimos perder, temos que ter mais poder, é, nós temos que ter poder?.
Queremos seguir algo, e dizemos que não vamos ser influenciados, mas estamos errados, quem nunca ouviu Cazuza, e recitou o trecho "Meus heróis morreram de overdose", e mesmo assim, continuou a beber, achando algo bonito. Quem nunca observou, noticias de crianças dançando, e as que fazem mais sucesso, são aquelas que conseguem imitar o cantor, ou até mesmo, sendo inocentes são influenciadas pelos PAIS a dançar, uma arte "obscena", como o "Créu", ou então, se expor há programas, que aparecem mulheres seminuas, dançando e sorrindo, ao invés, de mostrar um pouco de realidade.
Imagine, uma criança, que cresce pensando que o mundo perfeito, é a base de noticias, de mulheres bonitas, e de seguir o que está escrito nas letras de músicas, e quando, se é noticiado, que houve um morte cruel, por um membro familiar, ou qualquer pessoa, os pais, apenas, fecham os olhos das crianças. O que estamos ensinando há elas? Não há alertamos sobres os perigos, sobre como as pessoas podem ser, que não devemos julgar logo alguém, só pela face, que não podemos achar que todos ao nosso redor são pessoas boas; deveríamos mostrar que por toda parte há um pedaço de perigo, que devemos estar alerta, e que, devemos lutar pelos nossos direitos, mesmo que sejam idiotas, devemos. Que, nada na vida vêem de forma fácil, e que sempre haverá barreiras. Deveríamos mostrar mais, realidade.
Não que elas devam crescer achando que qualquer pessoa que esteja do seu lado, vá matá-la, mas que ela tenha consciência, e desconfie de certas atitudes, e conte aos pais, tudo.
Queridos leitores, eu ando um pouco sem tempo para postar no blog. Realmente, eu acho, que só postarei nos feriados, e finais de semana. ;D

domingo, 1 de agosto de 2010

É

( foto: Luna )

Não importa quantas vezes eu precise, não importa se eu cresça, se eu faça diferente, quem se importa?. Estaria sentada na calçada, se não me preocupa-se tanto, com o fato, de alguém, poder vir e me levar, para longe, não me importaria, se crianças brincassem descalças nas ruas, ficaria triste, elas podem não ter uma familia, e eu me achar, no direito, de ser superior, eu não sou, nada disso. Eu não posso, sorrir para alguém, e a julgá-la boa, ela pode ser um perigoso serial killer, ela pode ter roubado algo de alguém, eu não posso julgar nada, nem ninguém. Mas, eu posso descobrir, eu posso tentar, eu posso fazer, mesmo que ninguém saiba, eu vou tentar mudar, me transformar, viver, e tentar ajudar, deixar de julgar, conheçer, e reconheçer. É quem nunca olhou para alguém, e pensou algo? Quem nunca quis matar? Quem nunca teve ódio? Não há como dizer, eu vou mudar, mas há, como tentar.