quinta-feira, 22 de julho de 2010

Se for

Para querer um mundo com tantas guerras, com tanto preconceito, eu prefiro ser considerada louca, e ser indevida para sociedade, do que querer, participar, da luta pelo poder, e da vontade de querer vencer, de fingir ser uma pessoa legal, eu prefiro ser chata com aqueles que pouco me fazem rir, prefiro brigar com palavras, do que dar um soco em alguém, prefiro fazer meu mundo, prefiro ficar de cabeça para baixo, e dizer que nada importa, do que me preocupar tanto, sem ao menos fazer nada. Prefiro dar um pedaço de pão, um cobertor para quem precisa, do que mostrar na cara de quem não pode, de que tenho tudo, prefiro ser chata, do que ser falsa, prefiro ser "burra", do que esbanjar saber, sem ao menos saber o que quero. Prefiro, amar meus amigos, do que lutar por alguém perdido, prefiro um presente do coraçao, do que algo caro e nada sentimental, prefiro um sorriso sem dente, do que um lotado de falsidade. Prefiro amigos gays, do que pessoas idiotas e irracionais, prefiro pessoas sem vergonha, do que pessoas que se escondam demais, prefiro viver um mundo louco, do que lutar por algo impróprio. Prefiro brigar com meus pais, do que matá-los e ainda fingir chorar, prefiro sonhar em algo inatingível, do que matar para ter aquilo.
É eu prefiro.

Um comentário:

tamara furlan disse...

eu tambem prefiro, adorei o texto *-*