sábado, 10 de julho de 2010

O pior acaba de acontecer.

(Foto: Meira)
(estava revirando minhas coisas, e axei esse texto.)

Era de manhã, ali estava, em sua pequena moradia construida por galhos, folhas e bambus, Carlos um garoto de seis anos, tem onze irmãos, todos maiores de idade. Apesar de sua aparêncai pobre, trajando simples roupas rasgadas, o teu simples sorriso escondia a tua tristeza.
Carlos e seus irmãos conviviam apenas com seu pai, Luis, que sempre mostrava disposição para trabalhar na sua fazenda, apesar da idade Luis trabalhava "duro", para sustentar os filhos. Infelizmente, sua mulher Mercedes falecera á dois anos, de puro desgosto.
Parte dos irmãos de Carlos não podia trabalhar por apresentarem problemas de saúde, e os que podiam, pouco ganhavam com o trabalho clandestino.
Naquela mesma tarde, Carlos á beira do mar, observou o pôr-do-sol, desmotivado com a vida, segue em direção a aquela imensa e radiante luz, mergulhando na água gelada, começando um intenso nado, até, que suas pernas e seus braços pediam para que para-se, não aguentava nadar mais, e ao olhar para tráz, percebe que não ia conseguir voltar, a dor o domina e tudo que passa a ver é escuridão.
Luis nota, o desaparecimento do filho, corre por toda a redondeza de sua casa e não encontra o filho, um tempo depois, percebe que o pior havia por ter acontecido.
Luis, percebe que agora sua vida não tinha mais sentido, e resolve pegar seu barco, chamar seus filhos, e pedir que entrassem no barco, e desta maneira os leva para um lugar distante na água, em que era impossivel voltar nadando. Os filhos não compreendiam o que faziam ali, mas notaram a tristeza do pai e calados, olhando para o chão, notam um buraco no barco, a água começa a inundar o barco, mas o pai nem se importa, apenas sorri e diz : "Nós sempre vamos estar com você, Carlos".

Nenhum comentário: